Meditação e suas evoluções

01/17/2019 — Leia em 1 min — em Meditação, Consciência

O objetivo pro corpo, o porquê pra mente e o resultado pra alma.

Para o iniciante?

Encontrar uma posição confortável e observar a respiração é o objetivo. Porque se não fizer isso, vai acabar passando a vida sendo controlado por emoções e pensamentos momentâneos, que muitas vezes não são seus e só te distraem. O resultado é que aos poucos você consegue enxergar que sentir é um processo físico e psíquico, entre dor e sofrimento ou prazer e conforto.

Para o entusiasta?

Ficar sentado sem se mexer, em silêncio, seguindo ou entoando algum som, olhando para um ponto focal (ou de olhos fechados) por 40 minutos. Porque depois de 30 minutos, você vai ter certeza que sua mente faz qualquer coisa pra te distrair e que só pode ter um macaco na sua cabeça. O resultado é que depois de um tempo você consegue separar o macaco distraído do ser humano que deseja e sofre por não entender ou controlar seus desejos.

Para o meditador?

Sentar com a coluna e cabeça ereta, olhos fechados (ou semiabertos), em silêncio, por 60 minutos diários. Porque o corpo vai acostumando com a sensação de manter o controle sobre si, refletindo uma resposta em tom de comando na mente, o que começa a aliviar as cargas da alma. O resultado é uma atenção plena que busca manter e auxiliar na construção do próprio projeto de vida.

Sigo iniciando novos ciclos, entusiasmado como sempre, meditando sobre os elementos e os caminhos que me fazem evoluir.

meditation